sexta-feira, outubro 13, 2017

Stellar Mate: o IoT da astronomia futura.

Os primeiros testes com o Stellar Mate e o Kstars: controlo wifi com Tablet para todos os equipamentos, Canon350D, zwo ASI224MC, montagem eq-al Vixen GP-DX com Skysensor 2000-PC e ainda o Skysafari ,através do INDI open source. 
Ainda fizemos ligação HDMI com monitor TV e teclado bluetooth.
Verifica-se uma fantástica capacidade de integração e controlo de todos os equipamentos.






sábado, setembro 30, 2017

Cometa C/2017 O1 (ASASSN)


Aqui está finalmente o cometa C/2017 O1 (ASASSN) atravessando o campo estelar da constelação do Perseu logo acima da tríade de estrelas variáveis e duplas, a saber da esquerda para a direita, a V590 Per, 55Per e 56Per. Ainda é possível ver a galáxia espiral UGC3028 de magnitude 15,8 e situada a 170 milhões de anos-luz. 
Este cometa transita com uma magnitude visual 14 a 115 milhões de quilómetros do nosso planeta atingindo a sua maior aproximação a 14 de outubro deste ano.
Imagem resultante da integração 30x40 segundos com Acromático takahashi 102FS a f/8 com uma canon 350D modificada a 1600 ISO.

sábado, setembro 09, 2017

Os monstros da ultima decada rodam

Os dois grupos rodavam para o limbo leste do Sol depois da RA2673 ter lançado mais umas pequenas Fulgurações na manhã do dia 9. Entretanto a oeste surge mais uma mancha solar de grandes dimensões.


quinta-feira, setembro 07, 2017

Dois monstros no Sol

Duas Regiões Ativas designadas por RA2673 e 2674 com o tamanho correspondente respetivamente a 10 e a 20 planetas Terra cruzavam o disco solar ganhando complexidade magnética crescente e dando origem a uma fulguração X9 no dia 6 de setembro antecedida por 4 outras. A Ejeção de Massa Coronal resultante chegará no dia 8 com produção de Auroras e blackouts nas comunicações de ondas curtas.
Entretanto só hoje conseguimos ter céu sem nuvens mas de grande instabilidade que nos permitiu fazer algumas imagens destas manchas solares uma das quais a RA2673 continuava a produzir algumas pequenas fulgurações da classe M e ainda uma X1.3.
Aqui fica um mosaico com as imagens feitas hoje e que mostram sobretudo a complexidade magnética da RA2673 que continua a prometer dar mais notícias.


domingo, julho 16, 2017

Atividade Solar

A RA2665 depois de ter produzido duas poderosas EMC, uma das quais na manha de 16 de julho, está prestes a rodar no limbo solar oeste deixando novamente o disco solar sem qualquer atividade digna de nota.
A imagem é o resultado do "stack" de 200 frames obtidos com uma ASI224MC e um ETX 90mm a f/13,6. Reparar no extenso network de fáculas rodeando a mancha solar.


domingo, julho 09, 2017

RA2665 - Atividade Solar


A Região Ativa 2665 produziu uma fulguração da casse M1,3 pelas 03:18 UT
tendo provocado uma tempestade geomagnética da classe G1 mais intensa entre as 09:00 e as 12:00 UT da manhã com acréscimo de radiação UV e raios-X e ionização das camadas atmosféricas mais altas perturbando a propagação rádio em ondas curtas. Depois de um largo período de baixa e quase nenhuma atividade, o Sol surge agora com esta mega mancha solar do tamanho de 7 Terras.


sexta-feira, julho 07, 2017

terça-feira, julho 04, 2017

sábado, julho 01, 2017

Júpiter

 C8 f/10

Na noite de 30 de junho tirámos partido de uma alta pressão sobre o grupo oriental dos Açores tendo realizado múltiplos filmes AVI com 400 frames e em diversas resoluções. Os resultados estão à vista e representam aquilo que é possível obter com as limitações impostas pelo céu açoriano.

 Imagem original C8 f/25 com barlow 2,5 Televue

Redução a 75%

Uma viagem pela nossa lua



Mosaicos de imagens obtidas na noite de 30 junho com um Celestron 203mm a f/10 e uma camera ASI224MC da ZWO. Condições atmosféricas muito instáveis.

quarta-feira, junho 28, 2017

terça-feira, junho 27, 2017

Cratera Petavius

A cratera Petavius com um diâmetro de 177 km sendo uma cratera de impato apresenta cumes duplos com o seu interior pavimentado de lava e com uma fratura gigantesca que radia do seu centro povoado por um conjunto de pico com 1700 metros de altura.
A imagem foi obtida com um C8 a f/25 e uma ASI224MC em condições muito más de observação.

Atividade solar

A mancha solar conhecida como Região Ativa 2464 cruza sózinha o disco solar apesar de apresentar uma complexidade magnética digna de nota para a fase presente deste Mínimo Solar.
Aqui fica o registo de 500 frames obtido em Ponta Delgada com um ETX90 e uma ZWO ASI224MC em foco direto. Notar a Granulação da Fotosfera.


sexta-feira, junho 23, 2017

Júpiter 22 junho 2017


Atividade Solar

Depois de semanas de quase inatividade fotosférica o Sol apresenta um grupo designado por RA2663
magneticamente bipolar. Reparar na estrutura das células convectivas da Granulação da Fotosfera.

Júpiter a 17 e a 22 de junho




domingo, maio 28, 2017

Um pequeno ensaio sobre a Estrela de Tabby

Depois da apresentação feita à estrela de Tabby aqui neste blog, persistiu na minha ideia calcular a sua magnitude confirmando a sua variabilidade luminosa.
Para tal usámos duas imagens feitas com o Takahashi 106FS a f/8 com a Canon 350D modificada e dotada de um filtro CLS-astronomik. As duas imagens foram integradas sem sofrerem qualquer pré-tratamento e analisadas em formato pic pelo software Iris.
Utilziámos  como estrelas de referencia aquelas situadas em torno da estrela de Tabby dado terem magnitudes aproximadas.
Feitos os devidos procedimentos e usando a fórmula m= -2,5 x log I, sendo I a intensidade luminosa em ADUs (Analog Digital Units) obtivemos por interpolação uma magnitude para a estrela de Tabby de 10,86 magnitude relativa, ou seja 1,16 magnitudes abaixo do considerado normal nesta estrela.

Deixamos aqui a imagem com as respetivas anotações incorporadas.


sexta-feira, maio 26, 2017

Cometa C/2015 V2 Johnson


Na noite de 24 de maio 2017 e por um período relativamente curto obtivemos um céu mais estável do que é costume nesta época e que nos facultou a possibilidade de voltar a ver este cometa que transitava com magnitude 7.0 na constelação do Boieiro quase a zénite do nosso lugar de observação (Fajã de Baixo). No dia 5 de junho fará a maior aproximação ao nosso planeta a uma distancia de 121,327,537 km.

Apresentava-se com um brilho mais intenso com uma cabeleira maior e de aspeto difuso e com uma cauda de poeiras bastante pronunciada e curta.

Para informações na hora consulte o site  https://theskylive.com/c2015v2-info

Aqui fica a imagem resultado da integração de 25x40s obtidas com um Taka 102FS f/8 e uma Canon 350D modificada e dotada com filtro CLS-Astronomik.
 

TYC 3162-0665-1 ou estrela de Tabby


A estrela de Tabby assim designada em homenagem à astrónoma Tabetha Boyajian que iniciou o estudo da sua variabilidade luminosa, é conhecida oficialmente por KIC 8462852 e tem despertado muita curiosidade por parte dos astrónomos profissionais e amadores, dado estar envolta por um adensado mistério que ainda não foi descortinado e explicado devido às grandes variações do seu brilho, sendo uma das hipóteses a existencia de uma mega estrutura alíenigena construída em torno da estrela ou seja uma Esfera de Dyson.

A Estrela de Tabby é imaginada aqui como envolta por anéis de Dyson,  Kevin Gill / Flickr

Esta estrela situa-se aproximadamente a 1480 anos-luz de nós na constelação do Cisne com uma magnitude de 11.7, que a torna invisível a olho nu, apesar de ser um pouco maior e mais massiva que o Sol.

A partir de outubro de 2015 o telescópio espacial Kepler direcionou as suas observações para esta estrela na vã tentativa de detetar exoplanetas que circulassem á sua volta. Dado que a diminuição de brilho atingia os 20% e não era periódica foi descartada esta hipótese. Ainda outra hipóteses sugeria que a estrela de Tabby, sendo eventualmente muito jovem, possuia ainda material em torno dela que a obscurecia.


Simulador SkySafari 5 Pro para Android

Outra hipótese lançada era que a diminução de brilho fosse causada por destroços de um protoplaneta que terá sofrido uma colisão. Contudo uma hipótese que ganhou relevo defende que esta variação de luminosidade é provocado por um grande número de cometas e de asteróides.

Entretanto também o Intituto SETI já tentou detectar algum sinal de rádio de proviniência desta suposta estrutura extraterrestre conhecida como Esfera de Dyson, mas nada conseguiu.

Conclusão: não sabemos o que se passa com a estrela de Tabby e apenas por curiosidade fizemos algumas imagens. Contudo o mistério adensa-se e o aparecimento de fóruns na net e de artigos sobre o caso surgem em catadupa. Aqui fica a nossa imagem única de 45 segundos da estrela de Tabby e que mais não revela senão mais uma estrela na imensidão do espaço.
 
 

SN2017eaw tipo IIP (estrela gigante supermassiva)


Na noite de 24 de maio de 2017 o astrónomo amador Patrick Wiggins descobriu na NGC6946 uma Supernova de magnitude 12,8, a segunda mais brilhante de 10 Supernovas já detetadas nesta galáxia que faz juz ao seu nome popular de Galáxia do Fogo de Artificio e que se situa entre as constelações do Cisne e do Cefeu.

Desde essa data até hoje esta supernova tem mantido a sua luminosidade constante o que a faz detetável por telescópios com diâmetro mínimo de 8 polegadas. Como mostra o mapa a supernova posiciona-se a 61 oeste e a 143 norte do núcleo galáctico nas coordenadas AR. 20h 34m 44.24s, Dec. +60° 11 35.9.



As imagens obtidas por nós com um Taka 102FS f/8 e uma Canon 350D a 1600iso é o resultado da integração de 30x40s e refletem a má qualidade do céu com muitas nuvens a NE e com o objeto em apreço muito baixo no horizonte não permitindo fazer um exercício correto de cálculo da sua magnitude aparente.
 

domingo, abril 23, 2017

Cometas na madrugada de 22 de abril


Na madrugada de 22 de abril depois de termos detetado o asteroide apontámos o telescópio para a área em  volta da constelação de Hércules no intuito de vermos os dois cometas que transitavam por lá, a saber o cometa 41P/Tuttle-Giacobini-Kresak e o C/2014 V2 Johnson.
Este último sobretudo despertou a atenção pelo seu brilho intenso e pela cauda bastante extensa e dobrada como também mostra a imagem tratada com um filtro Larson-Sekanina.



Mais duas imagens do 41P Tuttle-Giacobini-Kresak
processamento "comet center" com Iris software


SN2017dfc: uma Supernova estranha


Na galáxia M63 surgiu a Supernova SN2017dfc do tipo Ia, descoberta em 20 de abril pela missão Gaia e situada não muito longe do núcleo galático. 
O estranho deve-se ao fato é que a espetrografia indicava uma deslocação para o vermelho (redshift) da ordem de z=0.06 enquanto que o redshift da Messier 63 é de 0,0016, indicando que esta Supernova estaria a 900 milhões de anos luz enquanto a M63 está a 30 milhões de anos luz. Um caso estranho!! Provavelmente de uma galáxia atrás da M63 ?
Esta imagem resulta da integração de 15x45 segundos e revela de forma muito ténue a posição da SN2017dfc que aparenta ter uma magnitude á volta de 17,5.
Foi obtida na madrugada de 22 de abril aquando da deteção do asteroide 2014JO25.
 
Em 23 abril recebemos um email de Mathieu no fórum Astrosurf sobre este assunto e reportando que uma observação feita em 7 de abril pelo telescópio T400 do Observatório de Nice dava a conhecer os momentos iniciais desta SN: http://mconjat.free.fr/trifid/m63_7-21_avril.gif
No mesmo fórum Jean-François Soulier  remetia-nos para outras confirmações reportando luminosidade a decrescer:
http://6888comete.free.fr/images/forum/M63SNAT2017dfc.jpg
NET UCAC-4
AT2017 KC2017 04 21.93452 13 15 43.67 +42 02 14.2 18.37R A.R.= 4.9"
AT2017 KC2017 04 21.93452 13 15 43.67 +42 02 14.2 18.69R A.R.= 3.2"
AT2017 KC2017 04 21.93452 13 15 43.68 +42 02 13.8 18.81R A.R.= 1.6"

http://6888comete.free.fr/images/forum/m63x2.jpg
T200 "29PRemote" Dauban(04), F/D: 4, ATIK 314L+, 1.65"/Pix, sans filtrage, image compressée.

Mais informação: http://www.astronomerstelegram.org/?read=10302














sábado, abril 22, 2017

Asteroide 2014JO25





Descoberto em 2014 pelo programa da NASA - Near Earth Object Observation passou muito perto do nosso planeta, cerca de cinco distâncias lunares em 19 de abril deste ano tendo-se tornado notícia em todos os tabloides nacionais e internacionais. 
Tem um diâmetro de 1300  metros e uma estrutura em forma de amendoim revelada pelo radar do Observatório do Arecibo em Porto Rico.
Dado que o mau tempo se instalou nos Açores neste período de tempo, só nos foi possível detetar este asteroide na madrugada de 22 de abril quando uma alta pressão se instalou de passagem sobre S. Miguel.
As imagens mostram para além do asteroide que se deslocava a alta velocidade, a galaxia NGC4348.




Animação gif feita com 10 imagens obtidas com o Taka 102FS f/8 e Canon 350D modificada e filtrada com CLS-Astronomik. Imagens de 45 segundos cada a 1600iso.


 
 
 
This animation of 2014 JO25 was compiled from the observations made by the 984-feet  (300-meter) Arecibo Observatory near closest approach on April 19. The small bright features may be boulders; rolling terrain casts shadows. Credit: Arecibo Observatory/NSF/NASA